Clique e assine a partir de 9,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

AQUI, A PROVA DE QUE MARIA RITA KEHL USOU A TV CULTURA PARA ESPALHAR UMA MENTIRA SOBRE A POLÍCIA DE SP

Entre mim e Maria Rita Kehl, há muitas diferenças. Ela, todos sabem, é da esquerda chique — eu não sou; estou mais, fazendo uma graça, para a “direita que trabalha”. Outra diferença essencial é que, antes de falar, faço pesquisa, procuro os dados, busco números. Aquela senhora se contenta em falar o que lhe dá […]

Por Reinaldo Azevedo - Atualizado em 31 jul 2020, 09h59 - Publicado em 6 dez 2011, 20h07

Entre mim e Maria Rita Kehl, há muitas diferenças. Ela, todos sabem, é da esquerda chique — eu não sou; estou mais, fazendo uma graça, para a “direita que trabalha”. Outra diferença essencial é que, antes de falar, faço pesquisa, procuro os dados, busco números. Aquela senhora se contenta em falar o que lhe dá na telha. Seu compromisso não é com os fatos, é com sua militância. Claro, claro… Não é culpa sua se é chamada como entrevistadora num programa jornalístico. Ela vai lá fazer o que sabe: proselitismo infundado.

Maria Rita deve ignorar, mas existe uma coisa chamada Anuário Brasileiro de Segurança Pública, editado pelo… MINISTÉRIO DA JUSTIÇA, ocupado por gente de seu partido. O link que vocês vêem aí é o do anuário de 2011, com números referentes a 2010.

Disse Maria Rita a FHC (ver posts abaixo): “A polícia de São Paulo, enfim, estado governado pelo seu partido, tem sido muito violenta e há muito tempo.”
Com reservas aqui e ali, sem saber, visivelmente do que falava e também sem ter dados, FHC acabou anuindo. Pois é. Se vocês acessarem o anuário, procurem a Tabela 9, na página 38. Ali, ficarão sabendo que as polícias Civil e Militar de São Paulo mataram, no ano passado, 510 pessoas, numa população de mais de 42 milhões de habitantes, o que representa 1,2 morte por 100 mil habitantes. A Polícia do Rio, onde o PT é base de apoio do governo, matou 855 pessoas, para uma população de 16 milhões de pessoas, o que significa 5,3 mortes por 100 mil habitantes. A senhora está entendendo como se toca o samba, dona Maria Rita?

Esta senhora, como se nota, lembra que São Paulo é governado pelo “partido de FHC”. E eu lembro que o PT, partido de Maria Rita, governa a Bahia pelo quinto ano. Em 2010, a polícia baiana matou 305 pessoas, ou 2,7 mortes por 100 mil habitantes, ou CENTO E VINTE E CINCO POR CENTO MAIS DO QUE SÃO PAULO.

Em 2010, o PT governava ainda o Acre, o Pará, o Piauí e Sergipe. Simplesmente inexistem dados dos três primeiros estados. Em Sergipe, os mortos são 0,8 por 100 mil. Ocorre que isso não diz tudo.

Em 2010, segundo dados do próprio governo federal, houve no Estado de São Paulo, 11,1 “Crimes Violentos Letais Interncionais (CVLI) por 100 mil habitantes (esse número, hoje, é inferior a 10, o que considerado pela ONU nível de violência não-epidêmico). Esses dados estão na tabela 8, página 36 do anuário. No Rio, foi de 28,8. A polícia do Rio matou 125% mais do que a de São Paulo; mesmo assim, o número dessa ocorrência foi 159% maior.

Vejam o índice de mortes violentas por cem mil habitantes nos estados governados em 2010 pelo PT, da Dona Kehl:
– Bahia – 33,8
– Pará – 36,6
– Acre – 28,9
– Sergipe – 38,2
– Piauí – 7,8

Só para registro: A categoria “Crimes Violentos Letais Intencionais” agrega as ocorrências de homicídio doloso, latrocínio e lesão corporal seguida de morte.

Não se trata de fazer campeonato de morte, não, mas de demonstrar que a petista Kehl falsifica a realidade quando transforma a Polícia de São Paulo numa máquina de matar. Os números não a autorizam. FHC certamente foi colhido de surpresa pela pergunta. Isso não desculpa sua resposta ruim. Se não tem os dados, melhor não falar nada. Esse negócio de condescender sempre com o interlocutor por educação, lhaneza e largueza intelectual é perigoso quando se é também um político. Colabora para dar razão a picaretas, a vigaristas que vão falando o que lhes dá na telha.

EU ESTOU DEMONSTRANDO QUE MARIA RITA KEHL ESTÁ ERRADA.

EU ESTOU DEMONSTRANDO QUE A TV CULTURA, SUSTENTADA PELO ESTADO E PELO BOLSO DOS PAULISTAS, FOI USADA PARA ESPALHAR UMA MENTIRA SOBRE A POLÍCIA.

Continua após a publicidade

EU ESTOU DEMONSTRANDO QUE, NUM PROGRAMA DE JORNALISMO, FALTOU RIGOR JORNALÍSTICO E SOBROU IDEOLOGIA VAGABUNDA.

São Paulo, o estado com a maior população do país, que concentra, mais do que qualquer outro, os problemas decorrentes das conurbações, que podem induzir a violência, tem índices de homicídio, segundo o próprio governo federal, superiores apenas aos pequenos Amapá, Santa Catarina e Piauí. E olhem lá… Neste estado, os registros de homicídios se fazem de maneira rigorosa.

Para encerrar: o estado que, de longe, é o mais bem-sucedido na redução do número de homicídios também foi aquele que teve o maior número de policiais mortos em serviço em 2010: 25. Por eles, Kehl não derrama uma lágrima nem de hipocrisia — talvez seja esta a única qualidade do seu pensamento: em sua confusão mental, ela deixa muito claro de que lado está.

E que fique claro: o ideal é que não morra uma só pessoa no confronto com a polícia. O ideal é que não morra um só policial no confronto com bandidos. Mas temos pela frente a enorme realidade. Um estado que reduz em 80% o número de homicídios em 12 anos está no caminho certo. E está no caminho certo fazendo o contrário do que sempre recomendou o partido da dona Kehl.

Não fosse, aliás, a redução do número de mortos em São Paulo, o governo Lula teria assistido a uma elevação do índice de homicídios em seus oito anos de governo. Por quê? Porque eles crescem quase no Brasil inteiro, em especial no Nordeste, e caem sistematicamente em São Paulo.

Lula deveria ser grato à polícia de São Paulo.

Estude, dona Maria Rita! O estudo ainda é a melhor maneira de não falar porcaria.

PS – Estou cantando e andando para o que dizem de mim os “descoletes” nas mesas de bar. Não sou doce de coco. Podem me detestar à vontade. A depender de quem odeie, é um favor. O fato é que é inútil me xingar. “Ai, como Reinaldo é agressivo!” Agressiva é a mulher do padre!!! Eu lido com dados. E detesto lacanagem!

Agressivo é usar o dinheiro público para mentir!

Continua após a publicidade
Publicidade