Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

América Latina – Os chavistas que andam de Porsche

Por David Adams, no Estadão:Um caso criminal politicamente explosivo revelado pelos promotores federais dos Estados Unidos este mês lança luz sobre uma nova elite de empresários venezuelanos que cresceu com a revolução socialista na Venezuela. Eles desfrutam de um estilo de vida luxuoso em alguns dos distritos mais caros do sul da Flórida. Mas, ao […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 20h02 - Publicado em 23 dez 2007, 04h37
Por David Adams, no Estadão:
Um caso criminal politicamente explosivo revelado pelos promotores federais dos Estados Unidos este mês lança luz sobre uma nova elite de empresários venezuelanos que cresceu com a revolução socialista na Venezuela.

Eles desfrutam de um estilo de vida luxuoso em alguns dos distritos mais caros do sul da Flórida. Mas, ao mesmo tempo em que compram imóveis à beira-mar em Key Biscayne, uma das comunidades mais ricas da Flórida, prometem fidelidade ao impetuoso presidente da Venezuela, Hugo Chávez. Um deles chegou a dirigir um Porsche com um adesivo promovendo o “socialismo do século 21”.

“Eu não diria que essas pessoas são chavistas. Estão nisso pelo dinheiro”, disse Ken Rijock, um especialista em lavagem de dinheiro que mora em Key Biscayne e vem escrevendo sobre os novos milionários venezuelanos.

Seu estilo de vida ostensivo e seus laços políticos foram motivo de mexericos por algum tempo entre os expatriados hispânicos e na mídia em língua espanhola. Mas a maioria manteve discrição, evitando a política para concentrar-se em suas amplas transações comerciais.

Esse anonimato acabou de repente no dia 12, quando autoridades federais anunciaram o indiciamento de cinco homens, quatro deles venezuelanos, acusados de atuar ilegalmente nos EUA como agentes não oficiais do governo da Venezuela. Quatro deles foram presos e um está foragido. Essas prisões estão relacionadas com a apreensão no aeroporto de Buenos Aires, em agosto, de uma maleta com US$ 790 mil em dinheiro não declarado.
Assinante lê mais aqui

Continua após a publicidade

Publicidade