Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Reinaldo Azevedo Por Blog Blog do jornalista Reinaldo Azevedo: política, governo, PT, imprensa e cultura

Alô, Magnífico da UnB! Veja por que a campanha de intimidação é inútil!

O reitor da Universidade de Brasília, José Geraldo Souza Júnior, comete um erro básico — ou, melhor ainda, recorre a um método velho e inútil: confrontado com o descalabro de sua própria lavra, resolveu convocar “a galera” para tentar intimidar a reportagem e calar a crítica, método, aliás, tornado célebre na instituição que dirige. Não […]

Por Reinaldo Azevedo Atualizado em 31 jul 2020, 11h25 - Publicado em 7 jul 2011, 06h15

O reitor da Universidade de Brasília, José Geraldo Souza Júnior, comete um erro básico — ou, melhor ainda, recorre a um método velho e inútil: confrontado com o descalabro de sua própria lavra, resolveu convocar “a galera” para tentar intimidar a reportagem e calar a crítica, método, aliás, tornado célebre na instituição que dirige. Não funciona! Mesmo tendo “convocado” seus sequazes para uma manifestação maciça de apoio, o repúdio ao que se dá na UnB é exponencialmente maior.

É bobagem tentar intimidar VEJA com abaixo-assinados e manifestações orquestradas de indignação. Ainda me lembro do alarido que se seguiu à primeira reportagem da revista que evidenciava os desmandos na Casa Civil sob Erenice Guerra. Alguns lembravam a sua origem pobrezinha, como se isso justificasse lambança. Outros diziam que, ainda que houvesse irregularidades, elas deveriam, imaginem!, ser noticiadas só depois da eleição. Durante um bom tempo, setores da própria imprensa chamavam as evidências de, como é mesmo?, “supostas irregularidades que teriam acontecido”, naquele magnífico futuro do pretérito composto de quem não quer se comprometer. Erenice caiu.

Nesta semana, uma reportagem de VEJA tornada pública no sábado fulminou a cúpula do Ministério dos Transportes, incluindo o ministro, em quatro dias. Isso significa compromisso com os fatos e com alguns princípios, que são os mesmos de milhões de leitores. Nada de jactância ou arrogância. Só cumprimento de um dever. E, como deixou claro o reitor José Geraldo, VEJA tem um caminho, ele tem outro. É verdade!  VEJA tem um caminho; Erenice tem outro. VEJA tem um caminho, Alfredo Nascimento e seus auxiliares têm outro.

Por isso tudo, Magnífico, tentativas de intimidação são inúteis.

Texto publicado originalmente às 20h58 desta terça
Continua após a publicidade
Publicidade