Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Witzel pede que polícia do Rio investigue morte de Bebianno

Pivô da primeira crise do governo Bolsonaro, o advogado trabalhava em uma pré-candidatura para a prefeitura do Rio pelo PSDB

Por Mariana Muniz 14 mar 2020, 13h30

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, pediu que a Polícia Civil investigue as circunstâncias da morte de Gustavo Bebianno, o ex-ministro de Jair Bolsonaro que faleceu na madrugada deste sábado vítima de um infarto fulminante.

Pivô da primeira crise do governo Bolsonaro, o advogado trabalhava em uma pré-candidatura para a prefeitura do Rio pelo PSDB.

Enquanto esteve à frente da Secretaria-Geral da Presidência da República, Bebianno denunciou a interferência de milícias na gestão Hospital Federal de Bonsucesso. Os fatos são objeto de apuração por parte da Polícia Civil do Rio, em caráter sigiloso.

Publicidade