Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Witzel diz ao STJ que trechos de delação de ex-secretário sumiram

Governador afastado do Rio pede para que depoimento de Edmar Santos ao MPF seja considerado 'prova ilícita'

Por Mariana Muniz Atualizado em 17 jan 2021, 14h07 - Publicado em 16 jan 2021, 16h29

Governador afastado do Rio, Wilson Witzel foi esta semana ao Superior Tribunal de Justiça pedir para que o depoimento de Edmar Santos ao MPF seja considerado “prova ilícita”. A delação do ex-secretário de Saúde, como se sabe, foi o detonador das denúncias contra ele.

A defesa do governador afastado do Rio afirma que os trechos mais importantes da delação simplesmente sumiram do processo criminal que tramita em Brasília. 

De acordo com os advogados de Witzel, dos vídeos com depoimentos apresentados pelo MPF foi suprimido o trecho de 24 minutos em que Edmar descreveria o funcionamento de um suposto “caixa único da propina”, cujo quinhão destinado ao governador seria de 20% — a informação constaria apenas na transcrição do vídeo.

A defesa quer que seja apurado o porquê do desaparecimento dessa parte da gravação e fala em “quebra da cadeia de custódia”.

Continua após a publicidade
Publicidade