Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Viúva de Jango reage a Bolsonaro: “64 impôs violenta ditadura militar”

Maria Thereza Goulart: "negar 64 é desrespeito aos mortos pela violenta ditadura militar"

Por Evandro Éboli Atualizado em 27 mar 2019, 15h49 - Publicado em 27 mar 2019, 07h30

Maria Thereza Goulart, viúva do presidente João Goulart, deposto pelos militares em 1964, criticou o estímulo do presidente Bolsonaro para que as unidades das Forças Armadas celebrem o golpe de 31 de março. A esposa de Jango falou ao Radar.

“Negar o golpe de Estado de 1964 que derrubou o governo constitucional, democrático e progressista do meu marido, o presidente João Goulart, é negar a própria história. É um desrespeito aos familiares daqueles que foram perseguidos, desaparecidos e mortos pela violenta  ditadura militar.”

Publicidade