Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Vídeo de dinheiro nas nádegas é humilhação desnecessária, diz ministro

'Humilhação pública não é pena prevista em lei', diz ministro sobre veto a vídeo do flagrante de dinheiro na cueca do ex-vice-líder do governo

Por Robson Bonin - Atualizado em 16 out 2020, 17h03 - Publicado em 16 out 2020, 13h47

A decisão do ministro Luís Roberto Barroso de preservar o sigilo do vídeo em que o ex-vice-líder do governo João Rodrigues tira pacotes de dinheiro das nádegas gerou reações nas redes. Afinal, outros políticos que não tinham foro no STF foram expostos no passado pelos mesmos flagrantes clássicos de corrupção.

A interlocutores, o ministro do STF explicou que sua decisão seguiu o entendimento da própria Polícia Federal, que recomendou o sigilo por considerar que a filmagem “exibe demasiadamente a intimidade do investigado e não produz acréscimo significativo à investigação”.

“Se comprovada a culpabilidade do investigado, estará justificada a sua punição, mas não sua desnecessária humilhação pública. Humilhação pública desnecessária não é uma das penas previstas na legislação”, disse Barroso a interlocutores.

Publicidade