Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Mercado imobiliário passou praticamente ileso ao pior da pandemia

Vendas de imóveis no primeiro semestre de 2020 caíram 2,2%, diz pesquisa

Por Mariana Muniz Atualizado em 24 ago 2020, 12h00 - Publicado em 24 ago 2020, 10h01

Atravessadas pela pandemia, as vendas de imóveis no primeiro semestre de 2020 em todo o país caíram 2,2% na comparação com 2019. Apenas na região Sul, as vendas subiram 15,1% no mesmo período. Os números são de um balanço do mercado imobiliário que a Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) divulga nesta segunda-feira.

Apesar de as vendas estarem praticamente estabilizadas, o número de lançamentos despencou. Em maio, a entidade já havia levantado que 79% das construtoras pretendiam adiar lançamentos imobiliários por conta da pandemia. Houve uma queda de 43,9% no número de lançamentos no semestre, na comparação com o mesmo período de 2019. Quando são considerados os dados por trimestre, o tombo foi ainda maior: de abril a junho de 2020 foram lançados 60,9% menos imóveis que no primeiro trimestre do ano.

A expectativa é por um segundo semestre com crescimento de lançamentos represados e uma recuperação gradual das vendas, proporcional ao tempo de duração da pandemia.

O setor está confiante na retomada: de acordo com o Ministério da Economia, em julho a construção civil gerou quase 42 mil vagas com carteira assinada. É o segundo resultado positivo consecutivo. O número é quase o triplo do que foi gerado em junho.

ASSINE VEJA

Aborto: por que o Brasil está tão atrasado nesse debate Leia nesta edição: as discussões sobre o aborto no Brasil, os áudios inéditos da mulher de Queiroz e as novas revelações de Cabral
Clique e Assine
Continua após a publicidade
Publicidade