Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Único prefeito do Partido Novo no país ataca lockdown na pandemia

'Toda vez que há lockdown diminui a arrecadação municipal', diz Adriano Silva em entrevista para a Rádio CBN

Por Robson Bonin Atualizado em 13 abr 2021, 16h25 - Publicado em 13 abr 2021, 16h22

Primeiro prefeito eleito pelo Partido Novo no Brasil, Adriano Silva, que comanda Joinville, a maior cidade de Santa Catarina, fez um balanço nesta terça dos primeiros 100 dias de gestão. No momento mais duro da pandemia, o discurso soou parecido com o de Jair Bolsonaro.

Sobre a adoção de medidas restritivas mais duras para conter o avanço do coronavírus, Silva descartou lockdown e não escondeu o motivo: a preocupação é com a “arrecadação municipal”.

Quem defende o Lockdown defende uma crise econômica e social… O município precisa de recursos e toda vez que há lockdown diminui a arrecadação municipal”, disse Silva à apresadora Morghana Santhiago da CBN.

Sobre o tratamento precoce — mesmo sem comprovação científica, a Secretaria Municipal da Saúde de Joinville oferece esta modalidade —, outra bandeira bolsonarista, o prefeito do Novo esquivou-se: “Há pessoas a favor e pessoas contra, não cabe ao prefeito decidir, é uma decisão médica”.

Continua após a publicidade
Publicidade