Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Tucanos atrasam envio de relação de fiscais para prévias

Sem os nomes que vão fiscalizar as urnas, a segurança do processo fica comprometida

Por Pedro Carvalho 16 mar 2018, 17h25

As prévias do PSDB em São Paulo estão envoltas em polêmicas. Após definir votação em endereços residenciais de membros do partido (leia aqui) e ameaçar retirar candidaturas que não pagarem uma taxa facultativa (aqui), a última é que os tucanos que aspiram ao governo do estado não enviaram para a comitiva do partido os nomes dos fiscais que vão acompanhar a votação.

Funciona assim: João Doria, Luiz Felipe d’Avila, José Aníbal, Floriano Pesaro e Alberto Mourão tinham até hoje para enviar a relação de nomes com documento dos responsáveis por acompanhar os votos no próximo domingo (18). O que não foi feito, com exceção de Pesaro.

Serão 130 urnas em todo o estado. Cada urna é responsabilidade de dois fiscais, em média. Portanto, são 260 nomes, divididos em igualdade entre os candidatos, que escolhem seus nomes.

O problema disso é claro: sem relação documentada dos fiscais não há controle e nem segurança de quem fará a segurança das urnas.

Para evitar o problema, a comitiva estadual do partido estuda prorrogar o prazo, vencido hoje, até amanhã.

 

 

Continua após a publicidade

Publicidade