Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Toffoli suspende busca e apreensão em gabinete de Serra no Senado

Presidente do STF não autorizou medidas realizadas pela Lava-Jato contra computadores e documentos nas dependências no Senado

Por Mariana Muniz - Atualizado em 21 jul 2020, 12h27 - Publicado em 21 jul 2020, 12h04

O presidente do STF, ministro Dias Toffoli, suspendeu as buscas e apreensões da Operação Lava-Jato no gabinete de José Serra no Senado. As medidas foram determinadas pela Justiça Eleitoral.

O tucano é alvo da Operação Paralelo 23, terceira fase do braço eleitoral da Lava-Jato em São Paulo. Foram cumpridos nesta terça quatro mandados de prisão temporária e 15 de busca e apreensão em São Paulo e Distrito Federal.

“A extrema amplitude da ordem de busca e apreensão, cujo objeto abrange computadores e quaisquer outros tipos de meio magnético ou digital de armazenamento de dados, impossibilita, de antemão, a delimitação de documentos e objetos que seriam diretamente ligados desempenho da atividade típica do mandato do Senador da República”, afirmou o ministro na decisão.

ASSINE VEJA

Crise da desigualdade social: a busca pelo equilíbrio Leia nesta edição: Como a pandemia ampliou o abismo entre ricos e pobres no Brasil. E mais: entrevista exclusiva com Pazuello, ministro interino da Saúde
Clique e Assine

Segundo Toffoli, a situação “eleva, sobremaneira, o risco potencial de sejam apreendidos documentos relacionados ao desempenho da atual atividade do congressista, o que, neste primeiro exame, pode implicar na competência constitucional da Corte para analisar a medida”.

As buscas já haviam sido impedidas pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre, para quem caberia ao Supremo autorizar o cumprimento das medidas expedidas pela primeira instância.

Continua após a publicidade
Publicidade