Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

TJMG defende evento com 220 pessoas em plena pandemia em BH

Tribunal nega que evento gerará despesas aos cofres públicos e diz que 'nem café será servido' aos convidados

Por Robson Bonin - Atualizado em 1 jul 2020, 15h03 - Publicado em 1 jul 2020, 14h51

No dia em que o país superou a triste marca das 60.000 mortes por coronavírus, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais vai reunir numa casa de shows de Belo Horizonte 220 pessoas. O motivo do evento? Manter a tradição de dar posse à direção do órgão.

Mais cedo, o Radar registrou a decisão do Judiciário mineiro de promover a aglomeração justamente no momento em que todo o tipo de evento está proibido na capital por força de um ato da prefeitura.

A assessoria do tribunal questionou o termo “convescote”, negando que o evento terá comes e bebes ou cumprimentos entre as duas centenas de pessoas que irão se reunir no espaço. O tribunal também afirma que a casa de show foi cedida sem custos e que a estrutura será fornecida igualmente sem despesas adicionais.

Minas Gerais cravou nesta quarta 1.000 mortes na pandemia. O governador Romeu Zema lamentou a situação dizendo que o “momento é de sacrifício”. Não para todos, como se vê.

Publicidade