Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

TCU pede estudo ao Denatran por placas padronizadas pelo Mercosul

Tribunal quer estudos para estabelecer custos e impactos da medida, adiada desde 2016

O TCU fez uma série de exigências ao Denatran sobre as placar de identificação de veículos padronizada pelo Mercosul, com implementação já adiada por diversas vezes.

O tribunal quer “justificativas técnicas acerca da necessidade de implantação de placas veiculares no padrão Mercosul em todo território nacional”, estudos que demonstrem os ganhos com a iniciativa e se há capacidade técnica dos órgãos em assimilarem essa mudança, além de custos e impactos.

O diretor do Denatran, Maurício José Alves Pereira, tem 30 dias para encaminhar odas as informações o TCU sob risco de multa.

As placas estão em uso na Argentina e no Uruguai.

 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

  1. Eis, em minha opinião, uma das coisas MAIS INÚTEIS que pretendem fazer. É como a tomada de três pinos, o extintor de incêndio e o kit de primeiros socorros automotivo e sei lá mais o que este pessoal inventa para extorquir o cidadão e… maldade minha… ganhar um troco. Não estamos na Europa onde as placas padronizadas tem função efetiva. Agora, qual o ganho para toda esta mudança aqui na América do Sul? Que tipos de vantagens terão, como milhares de cidadãos comuns, ao fazer a mudança? Como moro no Rio e nunca viajei para estes países do Mercosul de carro, qual seria o meu ganho com isto? Eles dizem que vão fazer, mas sequer se dão o trabalho de levantar as informações e explicá-las ao contribuinte.

    Curtir