Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Supremo Bolsonaro

Um ministro do Supremo dos mais progressistas e que não tem nenhuma simpatia por Jair Bolsonaro sentenciou: é quase nula a chance de ele perder o mandato por suas declarações homofóbicas e racistas ao programa CQC. A imunidade parlamentar para opiniões, apesar das barbaridades que ele tem dito, é absoluta. Para o ministro, a única […]

Por Da Redação - Atualizado em 20 fev 2017, 16h42 - Publicado em 31 mar 2011, 07h01

Um ministro do Supremo dos mais progressistas e que não tem nenhuma simpatia por Jair Bolsonaro sentenciou: é quase nula a chance de ele perder o mandato por suas declarações homofóbicas e racistas ao programa CQC. A imunidade parlamentar para opiniões, apesar das barbaridades que ele tem dito, é absoluta.

Para o ministro, a única exceção que pode levá-lo à cassação é se ficar caracterizado que Bolsonaro disse o que disse como cidadão comum – o que não foi o caso no programa, afinal ele falou o que falou como parlamentar.

Publicidade