Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

STJ tem ajuda da PF e até do Exército para conter ataque hacker

'A coisa é mais grave do que parece. A verdade é que não sabemos quanto tempo isso levará', diz um ministro

Por Robson Bonin Atualizado em 5 nov 2020, 19h45 - Publicado em 5 nov 2020, 19h38

Ministros do STJ estão nesse momento considerando reunir todos os ministros da Corte para avaliar a crise aberta pelo ataque hacker que sequestrou o sistema do tribunal nessa semana, como revelou o Radar em primeira mão.

O presidente da Corte, Humberto Martins, tem atuado diretamente na crise e informado os colegas por meio do WhatsApp. Técnicos da Polícia Federal e até do Exército estão envolvidos na operação para mapear a extensão dos vazamentos.

Os computadores da Corte estão sendo numerados e analisados separadamente num trabalho meticuloso para avaliar cada foco de fragilidade do sistema.

“A coisa é mais grave do que parece. A verdade é que não sabemos quanto tempo isso levará. A Corte está avaliando como reagir”, diz um ministro.

O avanço das especulações na internet, com informações truncadas sobre o que está, de fato, acontecendo no tribunal tem preocupado os ministros.

Colegas de Martins têm aconselhado o presidente da Corte a realizar um pronunciamento ou divulgar uma nota para tornar o tema mais claro possível, já que o universo jurídico em torno do tribunal a todo momento cobra informações claras dos ministros sobre processos específicos.

Continua após a publicidade
Publicidade