Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

STJ nega à Assembleia do Rio acesso a provas contra Wilson Witzel

Segundo ministro, material probatório ainda está sob análise da PF e compartilhamento é 'prematuro'

Por Mariana Muniz - Atualizado em 30 Jun 2020, 13h52 - Publicado em 30 Jun 2020, 14h30

O STJ negou o pedido feito pela comissão do impeachment da Assembleia Legislativa do Rio para ter acesso às provas do inquérito contra Wilson Witzel.

Em despacho encaminhado à Alerj na nesta segunda-feira, o ministro Benedito Gonçalves, relator das investigações contra o governador do Rio, por considerar que o compartilhamento dos documentos, no atual estágio do inquérito, seria “prematuro”.

A decisão de Gonçalves acolheu o parecer da Procuradoria-Geral da República, contrário à divulgação do material presente na investigação. Segundo a PGR, o material probatório ainda está sob análise da PF e podem, num momento futuro, levar a outras diligências.

Ainda segundo a PGR, o compartilhamento de provas com a Alerj “mostra-se prematura e temerária” porque pode “acarretar na frustração da coleta de novas evidências e na publicização da linha investigativa”.

Continua após a publicidade

Na semana passada, o Radar mostrou que a solicitação dos documentos pausou o andamento do processo de impedimento do governador. É que os integrantes da comissão suspenderam o prazo para que Witzel apresente sua defesa enquanto não chegasse a documentação.

Além do STJ, os pedidos de provas da investigação foram dirigidos ao Ministério Público Estadual e ao Ministério Público Federal.

Publicidade