Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

STJ decreta prisão preventiva de desembargadora do TJ da Bahia

Alvo da Lava-Toga baiana, Sandra Rusciolelli Azevedo ficará detida por tempo indeterminado

Por Mariana Muniz - Atualizado em 30 mar 2020, 12h09 - Publicado em 30 mar 2020, 12h08

O ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Og Fernandes acolheu pedido feito pelo Ministério Público Federal e decretou a prisão preventiva da desembargadora Sandra Inês Moraes Rusciolelli Azevedo, do Tribunal de Justiça da Bahia (TJBA), que na última terça-feira foi presa temporariamente na quinta fase da Operação Faroeste.

A conversão da prisão, que agora não tem prazo para terminar, foi feita para resguardar a ordem pública e a conveniência da instrução criminal, segundo o ministro do STJ. As investigações mostraram que a desembargadora, mesmo diante da quarentena do coronavírus, continuou recebendo propina.  

A decisão de Og Fernandes se estende também aos advogados Vasco Rusciolelli Azevedo,, filho de Sandra que recebeu 250 mil reais em propina dentro de um motel no último dia 17, e Vanderlei Chilante.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade