Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia e Mariana Muniz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

STF desacelera interrogatório de Witzel no impeachment

Decisão do ministro Alexandre de Moraes determina que depoimento do ex-secretário de Saúde no tribunal misto seja complementado

Por Mariana Muniz 26 fev 2021, 21h13

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, determinou que o interrogatório de Wilson Witzel no tribunal misto do impeachment só poderá ocorrer depois que a defesa do governador afastado do Rio tenha acesso a todos os documentos da ação penal que tramita contra ele no STJ.

O ministro atendeu a um pedido da defesa do governador contra um despacho do tribunal misto que marcou a continuidade do processo de julgamento do impeachment após o recebimento da denúncia contra Witzel.

A decisão de Moraes também determina que o interrogatório de Witzel só pode acontecer “após a complementação da oitiva da testemunha Edmar José Alves dos Santos, quando não mais incidirem as restrições decorrente da delação”. Edmar é o ex-secretário de Saúde do Rio, pivô das denúncias contra o governador afastado.

Publicidade