Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Solto por Gilmar, Lyra distribuiu 10 milhões de dólares em propina

Nova denúncia contra suposto operador do MDB foi feita nesta terça (15)

Por Ernesto Neves - Atualizado em 16 maio 2018, 12h58 - Publicado em 15 maio 2018, 20h27

Solto nesta terça (15) após ter sua prisão preventiva revogada pelo ministro do STF Gilmar Mendes, o empresário Milton Lyra aparece em nova denúncia feita pelo MPF.

Segundo a força-tarefa da Lava-Jato,  Lyra organizou junto aos doleiros Vinicius Claret, Claudio Barboza e Alessandro Laber um esquema responsável por distribuir mais de 10 milhões de dólares em propina.

Lyra também era próximo de outro acusado, o empresário Arthur Mário Pinheiro Machado, com quem mantinha negócios no exterior. Juntos, os dois teriam lavado quase 20 milhões de dólares.

O MPF diz que Lyra teria praticado, entre os anos de 2013 e 2014, “10 atos de lavagem de dinheiro, de forma reiterada por meio de operações de “dólar-cabo” com Alessandro Laber, Vinicius Claret e Claudio Barboza no valor de USD 10.000.000,00, para disponibilização de valor equivalente em reais, em espécie no Brasil…”.

Continua após a publicidade

Lyra estava preso preventivamente por outra ação, após ser apontado pela Polícia Federal como operador do MDB num suposto esquema de fraudes nos fundos de pensão Serpros e Postalis.

Publicidade