Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Sindicato de servidores do INSS fala em greve contra militares no órgão

‘Só a construção da greve pode colocar um fim a este desperdício de dinheiro público’, diz convocatória

Por Robson Bonin - Atualizado em 21 jan 2020, 08h32 - Publicado em 21 jan 2020, 07h32

O sindicalismo ligado à categoria de servidores de seguridade social começou a organizar um movimento que, se concretizado, poderá agravar ainda mais a situação do governo de Jair Bolsonaro diante da fila de brasileiros à espera da aposentadoria no INSS.

Nos corredores do órgão, a notícia da contratação de militares da reserva para auxiliarem no processamento de aposentadorias foi recebida com forte contrariedade. Como é comum nessa turma sindical, eles defendem a abertura de concurso público para ampliar o quadro de servidores do órgão.

“Só uma carreira típica de Estado com a valorização dos trabalhadores do INSS pode colocar fim ao apagão dos serviços do INSS. Neste momento e dada a gravidade das medidas anunciadas (contratação dos militares) só a construção da greve pode colocar um fim a este desperdício de dinheiro público”, diz o Sindicato dos Trabalhadores do Seguro Social e Previdência Social.

No INSS, o comentário de servidores ligados à cúpula é de que o presidente, Renato Vieira, será o primeiro a rodar, caso a greve aconteça.

Publicidade