Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Senadores entregam relatório final da CPI a Aras na PGR

Documento entregue na procuradoria pede o indiciamento de Bolsonaro e outras 77 pessoas por crimes cometidos no curso da pandemia

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 27 out 2021, 12h33 - Publicado em 27 out 2021, 11h45

Os senadores da CPI da Pandemia entregaram há pouco a Augusto Aras na PGR o relatório final da CPI da Pandemia, que sugere o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro e de outras 77 pessoas por crimes cometidos no curso da crise sanitária que já fez mais de 600.000 vítimas fatais no país. Os parlamentares de oposição ao governo foram recebidos no gabinete de Aras no prédio da PGR em Brasília. Eles entraram e saíram pela garagem em um encontro que não foi aberto ao registro da imprensa. Como se sabe, Aras é um aliado de Bolsonaro e há na capital federal quem ainda nutra a esperança de que com a possibilidade de naufrágio no Senado da indicação de André Mendonça para uma vaga no STF, o atual PGR volta a ter força na disputa pelo cargo.

O senador Rogério Carvalho disse em suas redes que Aras teria se comprometido a investigar todas as pessoas apontadas no relatório que tenham foro privilegiado. Pouco depois, o perfil oficial do MPF no Twitter divulgou um pequeno trecho sobre o que falou o PGR na reunião, confirmando que poderão ser abertas investigações sobre pessoas em exercício de mandato, como, por exemplo, Bolsonaro e seus filhos Flávio e Eduardo. Os integrantes da CPI levaram o relatório completo ao chefe do MPF, mas prometeram entregar até o fim do dia um documento mais enxuto, só com as denúncias das pessoas com detentores de foro. “Esta CPI já produziu resultados. Temos denúncias, ações penais, autoridades afastadas e muitas investigações em andamento e agora, com essas novas informações poderemos avançar na apuração em relação a autoridades com prerrogativa do foro nos tribunais superiores”, disse Aras aos parlamentares.

Os senadores deixaram o gabinete do procurador por volta das 11h30 e seguiram para o prédio do STF para a entrega do relatório da comissão ao ministro Alexandre de Moraes.

Publicidade