Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Sem retorno

Foi um juiz auxiliar da Corregedoria do CNJ quem esteve com Luiz Fux para ouvir dele os termos do voto do julgamento sobre os poderes do conselho de investigar magistrados. Fux deve propor uma solução intermediária ao Supremo: o CNJ só entra em ação após o término do prazo previsto para as corregedorias dos tribunais […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 10h31 - Publicado em 11 out 2011, 16h29

Foi um juiz auxiliar da Corregedoria do CNJ quem esteve com Luiz Fux para ouvir dele os termos do voto do julgamento sobre os poderes do conselho de investigar magistrados. Fux deve propor uma solução intermediária ao Supremo: o CNJ só entra em ação após o término do prazo previsto para as corregedorias dos tribunais atuarem. Eliana Calmon recebeu o retorno do seu subordinado, mas não deu retorno a Fux por meio do emissário se gostou da proposta. Preferiu ficar quieta para não passar a impressão de que estaria interferindo em uma decisão do Supremo.

Publicidade