Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Segue estatal

Prestes a completar seis meses em funcionamento, o elefante branco carioca chamado Cidade das Artes (ou, da Música, como Cesar Maia batizou) segue com administração estatal. A última proposta de administração privada do espaço foi feita pela Geo Eventos da Globo – quando ela e outras empresas do setor de eventos ainda não precisavam de […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 05h20 - Publicado em 24 set 2013, 14h52

O elefante branco carioca

Prestes a completar seis meses em funcionamento, o elefante branco carioca chamado Cidade das Artes (ou, da Música, como Cesar Maia batizou) segue com administração estatal.

A última proposta de administração privada do espaço foi feita pela Geo Eventos da Globo – quando ela e outras empresas do setor de eventos ainda não precisavam de aparelho para respirar.

A Geo queria receber 20 milhões de reais por ano da prefeitura e dividiria com Eduardo Paes o faturamento com a Cidade das Artes. Toda programação seria articulada pela empresa de eventos da Globo. Paes não topou.

Continua após a publicidade
Publicidade