Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Satiagraha anulada

O ministro Luiz Fux decidiu ontem que o acórdão do STJ que anulou a Operação Satiagraha, que em 2008 prendeu Daniel Dantas, Naji Nahas, Celso Pitta e mais 21 pessoas, permanece válido. Foram dois os motivos que sustentaram a decisão de Fux. Primeiro,  o Ministério Público impetrou o recurso extraordinário fora do prazo. Além disso, nem […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 01h04 - Publicado em 25 jun 2015, 07h02
A PF em ação na Satiagraha

A PF em ação na Satiagraha

O ministro Luiz Fux decidiu ontem que o acórdão do STJ que anulou a Operação Satiagraha, que em 2008 prendeu Daniel Dantas, Naji Nahas, Celso Pitta e mais 21 pessoas, permanece válido.

Foram dois os motivos que sustentaram a decisão de Fux.

Primeiro,  o Ministério Público impetrou o recurso extraordinário fora do prazo. Além disso, nem recurso especial caberia, pois esta não é uma questão constitucional, condição obrigatória para que o STF a apreciasse.

O STJ considerou a Satiagraha ilegal por causa da participação informal de pessoas estranhas aos quadros da PF. Estas pessoas tiveram acesso a dados sigilosos. Mais: houve também participação irregular de integrantes da Abin. 

No ano passado, o STF já havia condenado o delegado expulso da PF e ex-deputado Protógenes Queiroz a dois anos e 6 meses de prisão por violação de sigilo funcional qualificada por causa de irregularidades na Satiagraha, comandada por ele.

Continua após a publicidade

Publicidade