Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Remedinho amargo

A oposição da Câmara usará os discursos na sessão de hoje para centrar fogo na ameaça de ressuscitação da CPI da Petrobras. O objetivo é aprovar o requerimento de formação de um grupo de deputados para ir à Holanda investigar suspeitas de maracutaias envolvendo negócios da Petrobras por lá. A turma, porém, teme que Henrique […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 04h17 - Publicado em 11 mar 2014, 17h51
Saída honrosa construída

Saída honrosa construída

A oposição da Câmara usará os discursos na sessão de hoje para centrar fogo na ameaça de ressuscitação da CPI da Petrobras.

O objetivo é aprovar o requerimento de formação de um grupo de deputados para ir à Holanda investigar suspeitas de maracutaias envolvendo negócios da Petrobras por lá.

A turma, porém, teme que Henrique Eduardo Alves, apesar de integrado ao blocão anti-Dilma, roa a corda e não facilite a apreciação do requerimento.

As marteladas na tecla da abertura de CPI dariam uma saída honrosa a Henrique Alves e a outros deputados da base aliada dispostos a criar problemas ao governo, mas que não querem ter a imagem fritada no Palácio do Planalto.

Na linha do melhor um remédio amargo a uma cirurgia agressiva, poderão construir o argumento de que a missão à Holanda será menos danosa ao governo do que o renascimento do assunto CPI.

Continua após a publicidade

Publicidade