Clique e assine com 88% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Relator do caso Eduardo Bolsonaro protege acusados no Conselho de Ética

Igor Timo votou a favor do arquivamento em dois casos de quebra de decoro

Por Evandro Éboli - Atualizado em 9 dez 2019, 12h06 - Publicado em 9 dez 2019, 11h06

Escolhido relator do processo contra Eduardo Bolsonaro, o deputado Igor Timo (Podemos-MG) não frequenta muito o Conselho de Ética. Mas, quando vai, vota a favor de arquivamento de ações contra os colegas.

Ele relata a acusação contra Eduardo que envolve o AI-5.

Das oito votações no conselho ocorridas neste ano, Timo compareceu em duas e votou por poupar os amigos e impedir que os processos fossem instaurados. Votou sequer para que a investigação ocorresse, o chamado parecer de admissibilidade.

Nas duas em que compareceu, votou pelo arquivamento. Foram nos casos envolvendo os deputados José Medeiros, também do Podemos, de Mato Grosso – por ter chamado um colega de “vagabundo” no plenário da Câmara – e do Coronel Tadeu (PSL-SP) – que chamou o ex-governador paulista Geraldo Alckmin de “assassino de policiais”.

Publicidade

Os dois foram arquivados.

Em outros seis casos, Timo não apareceu.

Publicidade