Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Reinar no domingão sem Faustão ou sonhar com o Planalto, o dilema de Huck

Amigos dizem que mudanças na emissora tornarão mais difícil a escolha do apresentador da Globo

Por Robson Bonin Atualizado em 27 jan 2021, 17h59 - Publicado em 27 jan 2021, 06h01

O anúncio de que as tardes de domingo da Globo não terão mais Fausto Silva a partir de 2022 mexeu com os nervos de muita gente que já estava acostumada com a ideia de ver Luciano Huck nos palanques políticos no próximo ano.

Amigos do apresentador dizem que a possibilidade de virar o novo dono dos domingos da Globo provocou uma trinca na sólida convicção política de Huck. Não seria o caso de desistir do sonho presidencial, mas apenas de adiar outra vez a entrada na arena.

Huck, com muito mais dinheiro no bolso, mais velho e sem a turma de Jair Bolsonaro pela frente, poderia disputar em 2026? As teorias começaram a proliferar nos corredores da emissora.

O apresentador, como de costume, não dá pistas do que se passa no seu íntimo, mas a decisão, revelada pelo Radar, de mudar de campo no meio do ano tornou-se agora mais dolorosa.

“Antes dessa notícia da saída do Faustão, eu juraria que o Luciano estaria na urna no ano que vem. Agora, com esse universo de possibilidades que se abre para ele no próximo ano, já não sei”, diz um bom amigo do apresentador.

 

Continua após a publicidade

Publicidade