Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Reatando o flerte

Depois de agradecer o convite de Michel Temer, afirmar e reafirmar que não deixaria o PSD (Leia mais em: Kátia fica e O ‘não’ e a revolta), Kátia Abreu retomou o flerte com o PMDB: ontem, ficou cerca de uma hora reunida com Temer, que, assim como Valdir Raupp, acredita que a filiação sairá ainda […]

Por Da Redação - Atualizado em 31 jul 2020, 05h16 - Publicado em 2 out 2013, 19h21

Conversas avançadas

Depois de agradecer o convite de Michel Temer, afirmar e reafirmar que não deixaria o PSD (Leia mais em: Kátia fica e O ‘não’ e a revolta), Kátia Abreu retomou o flerte com o PMDB: ontem, ficou cerca de uma hora reunida com Temer, que, assim como Valdir Raupp, acredita que a filiação sairá ainda esta semana.

Kátia sabe melhor do que ninguém: caso esteja disposta a migrar e sobreviver no ninho peemedebista, deve andar mesmo afinada com quem manda no partido. Fora da cúpula não faltam rejeições ao seu nome. Eduardo Cunha, por exemplo, não disfarça o descontentamento com a possível filiação.

Resume Cunha:

– Se quiser, que venha. Vai ser só mais uma senadora do partido. Aqui, na bancada da Câmara, ninguém a apoia.

Continua após a publicidade
Publicidade