Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia e Mariana Muniz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Radar TVeja: Teori e Moro não são heróis nem vilões

Foi-se o tempo em que os juízes eram figuras anônimas, protegidas pelas togas e que só se manifestavam nos autos. Aquele que sempre foi acusado de ser o menos transparente e menos democrático dos Poderes ganhou protagonismo, e os magistrados, hoje, gozam da condição de heróis ou vilões nacionais. O ministro Teori Zavascki, da Lava-Jato, […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 23h11 - Publicado em 23 mar 2016, 21h16

http://videos.abril.com.br/veja/id/aecca932e3868ca23c87965927d5d322?

Foi-se o tempo em que os juízes eram figuras anônimas, protegidas pelas togas e que só se manifestavam nos autos. Aquele que sempre foi acusado de ser o menos transparente e menos democrático dos Poderes ganhou protagonismo, e os magistrados, hoje, gozam da condição de heróis ou vilões nacionais.

O ministro Teori Zavascki, da Lava-Jato, já vivenciou os dois extremos da fama. Teve decisões suas reverenciadas pela opinião pública, como quando validou a delação de Delcídio do Amaral, mas desde terça-feira vive uma execração virtual por conta da decisão de sustar as investigações decorrentes do grampo no ex-presidente Lula.

Situação semelhante é vivida pelo juiz Sergio Moro, elevado à condição de salvador da pátria pelos defensores do impeachment de Dilma Rousseff e chamado até de fascista pelos defensores do PT.

O novo status conferido ao Judiciário se deve a vários fatores. Os principais são o desgaste dos políticos e a extrema judicialização das questões nacionais – tudo, do impeachment de Dilma às decisões da Lava-Jato, passa pelo Judiciário.

Na falta de líderes políticos em quem confiar, a população se volta para os juízes, numa inversão de papeis perigosa e desaconselhável dado o papel institucional de cada Poder.

O ideal, como em tudo, é moderação: nem Teori é um traidor, como pipoca em grupos de WhatsApp, nem Moro é a versão brazuca do juiz Nicolas Marshall, do seriado “Justiça Final”, dos anos 80, que saía a bordo de uma moto saía pelas ruas fazendo justiça com as próprias mãos.

Continua após a publicidade
Publicidade