Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Radar TVeja: A debandada da tropa de Cunha

O tão esperado voto da agora célebre deputada Tia Eron, do PRB baiano, no Conselho de Ética surpreendeu: foi favorável à cassação de Eduardo Cunha. Logo em seguida, outro susto para os aliados do presidente afastado da Câmara: o radialista Wladimir Costa, que acabara de tecer elogios a Cunha, votou pela perda do mandato. Placar […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 22h30 - Publicado em 14 jun 2016, 21h06

http://videos.abril.com.br/veja/id/159bc66ea2f2c0793cfdf1af4b38a2ee?

O tão esperado voto da agora célebre deputada Tia Eron, do PRB baiano, no Conselho de Ética surpreendeu: foi favorável à cassação de Eduardo Cunha.

Logo em seguida, outro susto para os aliados do presidente afastado da Câmara: o radialista Wladimir Costa, que acabara de tecer elogios a Cunha, votou pela perda do mandato.

Placar final no conselho com a debandada da tropa de choque: 11 votos a 9 contra Cunha, isso depois de meses de delongas, troca de parlamentares, recursos e toda sorte de manobras.

A última trincheira de Cunha antes do plenário é a Comissão de Constituição e Justiça, mas, ainda que ganhe algum tempo, parece que o antes todo-poderoso caminha mesmo para o cadafalso.

A votação no plenário será em voto aberto, televisionado. Ironicamente, igual à do impeachment de Dilma, que Cunha comandou ainda em seu auge de poder.

Continua após a publicidade
Publicidade