Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia e Mariana Muniz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

“Quando Bolsonaro aciona a boca, não liga o cérebro”, diz senador Kajuru

Cidadania faz reunião virtual e decide apoiar Mandetta e atacar o presidente

Por Evandro Éboli Atualizado em 6 abr 2020, 12h39 - Publicado em 6 abr 2020, 12h15

Na sua primeira reunião virtual, o Cidadania discutiu a posição do partido em relação ao governo Bolsonaro – se assume ser oposição ou não – e também a postura sobre o racha entre o presidente e seu ministro da Saúde.

O Cidadania decidiu ser contra Bolsonaro, mas a favor de Luiz Henrique Mandetta. O senador Kajuru (GO) foi duro.

“Bolsonaro quando aciona a boca não liga o cérebro. Às vezes nem tem”, disse o senador no encontro remoto do partido e das bancadas do Cidadania.

O presidente do partido, Roberto Freire, defende a posição de independência, até para a bancada votar a favor de ações do governo que julgue positivas, mas atacou Bolsonaro.

“Fica claro que somos oposição a posição anacrônica e reacionária do Bolsonaro e seus desatinos. Apoiar o Mandetta não é apoiar o governo Bolsonaro. O Mandetta é oposição a esse governo Bolsonaro, que se posiciona contra a ciência”, disse Freire no encontro virtual.

O ex-senador Cristovam Buarque também atacou o presidente.

“É um presidente louco, sectário, que leva o Brasil ao desastre completo. Me considero de oposição a esse governo”, disse.

O partido tirou uma posição de apoio ao isolamento social das pessoas neste momento.

Continua após a publicidade
Publicidade