Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Propeg toma tombo de R$ 4 mi na Justiça do DF

Desembargadora mandou agência pagar empresas investigadas por suspeitas de fraudes em contratos de publicidade de 2009

Por Robson Bonin Atualizado em 23 fev 2021, 14h24 - Publicado em 23 fev 2021, 14h16

Em 2009, um trio de gráficas (Ipiranga, Verano Editora e Portal Print) contratadas para produzir material publicitário sobre a festa dos 50 anos de Brasília, acabou na mira da polícia por supostamente figurar no grupo de empresas envolvidas em desvios de recurso no notório governo de José Roberto Arruda.

A polícia do DF descobriria no curso das investigações que os comprovantes apresentados ao governo para receber pelos serviços eram fraudados, o que terminou por barrar o pagamento às gráficas. O tempo passou e deu corpo a uma disputa judicial entre as empresas suspeitas e a Propeg Comunicação, que prestava serviço ao Governo do Distrito Federal naquele tempo e foi responsável pela subcontratação do serviço.

No início desse ano, as empresas conseguiram o bloqueio de 5 milhões da Propeg para garantir o pagamento do serviço sob suspeita com a devida, correção monetária. Agora, a desembargadora Simone Lucindo autorizou o saque de quase 70% do valor indenizatório, no total de cerca de 4 milhões de reais.

Ao se manifestar sobre o assunto no início do mês, a Propeg lamentou a decisão da Justiça. “Além do Governo do Distrito Federal, a agência também está sendo vítima desta fraude, não tendo nenhuma evidência de que os serviços foram efetivamente prestados”, disse em nota.

Continua após a publicidade
Publicidade