Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A proibição de caminhões na Marginal Tietê e o futuro do Rodoanel em SP

Governo estadual negocia concessão do trecho Norte com iniciativa privada; obras inacabadas somam oito anos de atraso e bilhões de reais aos cofres públicos

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 17 set 2021, 12h20 - Publicado em 17 set 2021, 17h30

O prefeito de São Paulo Ricardo Nunes (MDB) tem sido pressionado pelo governo estadual a editar uma portaria para proibir a circulação de caminhões na Marginal Tietê.

O motivo é agudo para a gestão Doria: acelerar a concessão do Rodoanel Norte, cujas obras inacabadas já somam oito anos de atraso e bilhões de reais despendidos aos cofres públicos. O trecho tem 44 quilômetros de extensão, passando por São Paulo, Guarulhos e Arujá.

O texto em análise na Prefeitura barraria os caminhões na Marginal apenas após a transferência da operação à concessionária vencedora. Isso, porque ficou acertado que a empresa que levar a licitação terá de concluir a obra integralmente, com a única contrapartida de explorar os pedágios do trecho por 30 anos.

Dessa forma, o negócio só irá compensar se caminhões — responsáveis por grande parte da receita — tenham uma alternativa a menos para escapar das tarifas, sendo “afunilados” a passar pela rodovia.

Continua após a publicidade
Publicidade