Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Produção da Globoplay conta a história da ‘Fadinha’ Rayssa Leal

Episódio do documentário 'É Ouro – O Brilho do Brasil em Tóquio' mostra a medalhista mais jovem do esporte nacional em cenas inéditas

Por Robson Bonin Atualizado em 22 set 2021, 15h15 - Publicado em 22 set 2021, 16h30

Fenômeno de carisma e talento, Rayssa Leal chegou a Tóquio em julho deste ano como a atleta mais jovem a representar o Brasil em uma edição de Jogos Olímpicos. Saiu de lá como a medalhista mais nova do esporte brasileiro, com apenas 13 anos.

A história da menina de Imperatriz, no Maranhão, rendeu um episódio extra da série documental É Ouro – O Brilho do Brasil em Tóquio, produção original Globoplay, que estará disponível a partir quinta na plataforma.

Na última semana deste projeto, também será possível conferir como se construiu a façanha do pugilista baiano Hebert Conceição, campeão olímpico na capital japonesa.

A equipe do documentário acompanhou o retorno da “Fadinha” para casa e o primeiro dia dela na escola após os Jogos Olímpicos, sendo ovacionada pelas crianças.

O material conta também com imagens do primeiro Campeonato Brasileiro que ela disputou, em 2015, em Blumenau (SC), e relembra o dia 7 de setembro daquele ano, quando o vídeo de Rayssa fantasiada andando de skate acabou virando febre nas redes sociais e acabou se transformando no cartão de visitas dela para o mundo.

“Nunca parem de sonhar. Nós podemos transformar o mundo e o esporte”, avisa a mais nova estrela do esporte nacional, em depoimento no documentário.

Continua após a publicidade
Publicidade