Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Prisão de bombeiro deflagra nova fase na investigação do caso Marielle

Radar revelou que investigadores da Polícia Civil do Rio se preparavam para sair às ruas

Por Mariana Muniz - 10 jun 2020, 09h04

Há três semanas, o Radar revelou que os investigadores da Polícia Civil do Rio se preparavam para colar na rua uma operação com objetivo de prender outros envolvidos no assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes.

Nesta quarta, os investigadores prenderam o cabo do Corpo de Bombeiros Maxwell Simões Corrêa. Ele teria ajudado Ronnie Lessa e Élcio Queiroz no descarte das armas usadas no crime.

Investigadores ligados ao caso disseram ao Radar que novas prisões devem ser feitas, mas não nesta quarta-feira.

O avanço demonstra que ainda há pistas a seguir no quebra-cabeças dos eventos que resultaram na tragédia da noite de 14 de março de 2018 e pode abrir caminho para se chegar ao nome de quem mandou matar Marielle e Anderson.

Publicidade