Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

PR e a volta dos que não foram

Na segunda-feira à tarde, quando entrar na sala de audiências do Planalto para comandar a reunião de coordenação, Dilma Rousseff vai dar de cara com Lincoln Portela sentado em uma das cadeiras reservadas aos líderes partidários da base aliada (o nome dele já está na lista dos convidados confirmados). Lincoln? Mas ele não é o […]

Por Da Redação - Atualizado em 18 fev 2017, 20h15 - Publicado em 4 nov 2011, 18h48

O retorno ao palácio

Na segunda-feira à tarde, quando entrar na sala de audiências do Planalto para comandar a reunião de coordenação, Dilma Rousseff vai dar de cara com Lincoln Portela sentado em uma das cadeiras reservadas aos líderes partidários da base aliada (o nome dele já está na lista dos convidados confirmados).

Lincoln? Mas ele não é o líder do PR na Câmara, aquele partido que declarou independência da base após a faxina de Dilma nos Transportes? O próprio! Lincoln, que chegou a assinar o requerimento de abertura da CPI da Corrupção, saiu-se com essa para justificar o retorno ao universo palaciano:

— A gente é independente, mas é amigo. Recebi o convite da Ideli e do Vaccarezza. Agora vou consultar os universitários.

Continua após a publicidade

A propósito, Lincoln adianta que o PR irá votar em peso com o governo na discussão da DRU.

Publicidade