Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Por que Bolsonaro desistiu do churrasco das 10 mil mortes na pandemia

Presidente chocou o país ao organizar festinha no Alvorada na semana mais fúnebre da pandemia - foram 730 mortes nas últimas 24 horas

Por Robson Bonin - Atualizado em 9 Maio 2020, 19h21 - Publicado em 9 Maio 2020, 19h17

Jair Bolsonaro só cancelou a festinha na churrasqueira do Palácio da Alvorada quando descobriu que, no mesmo horário, Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia iriam decretar, no Congresso, luto de três dias pelos 10.627 brasileiros mortos pela pandemia de coronavírus.

A marca foi alcançada neste sábado, com mais 730 mortes, justamente quando o presidente colocaria a picanha e o pão de alho na grelha. Alcolumbre e Maia iriam pessoalmente, por volta de 14h, acompanhar o hasteamento, em meio-mastro, da Bandeira Nacional na frente ao Palácio do Congresso.

Desistiram porque a minguada manifestação bolsonarista que debochava das mortes na pandemia e afrontava o isolamento social já havia chegado nos arredores do Parlamento. Alvos prioritários dos bolsonaristas, os chefes da Câmara e do Senado não julgaram adequado estimular o confronto.

Bolsonaro pensa exclusivamente na sua reeleição. Ignora o número de mortos, porque “essa gente”, como ele costuma dizer, “morreria mesmo”. E daí?

Continua após a publicidade
Publicidade