Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Políticos e empresários voltam a pedir cardiologista na Saúde

Nome de Ludhmilla Hajjar, do Instituto do Coração, em São Paulo, foi levado a Bolsonaro para ocupar lugar de Nelson Teich

Por Robson Bonin Atualizado em 15 Maio 2020, 18h10 - Publicado em 15 Maio 2020, 15h33

Um grupo de médicos, políticos e empresários entrou em campo nas últimas horas para fazer da cardiologista Ludhmilla Hajjar, do Instituto do Coração, em São Paulo, a nova ministra da Saúde.

A área médica avalia que um especialista teria mais chance de conter a crise do coronavírus do que um militar, como o ministro interino Eduardo Pazuello.

Políticos e empresários destacam a capacidade de comunicação de Hajjar, há muitos anos professora da USP, e que já foi cotada para o cargo quando Bolsonaro escolheu Nelson Teich.

Entre os padrinhos da cardiologista estão Paulo Skaff e Ronaldo Caiado.

Continua após a publicidade
Publicidade