Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Polícia Federal gasta 420 milhões de reais na compra de 2.081 veículos

Frota terá veículos com blindagem máxima para proteção de juízes e testemunhas

Por Hugo Marques Atualizado em 1 dez 2020, 15h17 - Publicado em 1 dez 2020, 16h33

A Polícia Federal anunciou a compra de 2.081 veículos, entre furgões, caminhonetes, utilitários, caminhões guincho e SUVs blindadas. A compra deve custar 420 milhões de reais aos cofres públicos. São veículos policiais ostensivos, que são os caracterizados, e os reservados, sem tarjas, para uso em policiamento, patrulhamento e investigação. Os carros serão distribuídos para as superintendências da PF nos Estados e parcela deverá ser transferida para as polícias militares.

A lista inclui 71 furgões, 1.053 caminhonetes de tração nas quatro rodas, 171 carros tipo sedan, 663 carros tipo hatch, 42 caminhões guincho, 20 sedans híbridos e 61 SUV blindadas. Os carros híbridos, movidos a eletricidade e combustível, fazem parte do projeto da corporação para a substituição gradual de veículos a combustão. Em 2030, serão reduzidos a 90%, em 2040 a 70%, em 2050 a 10% e em 2060 só haverá veículos elétricos e ou movidos a energia solar na Polícia Federal.

As SUV blindadas terão proteção balística III-A, de nível máximo. Estes carros serão utilizados na segurança de dignitários, como são chamadas as autoridades estrangeiras. Também serão utilizados para o transporte de vítimas e testemunhas ameaçadas pelo crime organizado, visitantes oficiais estrangeiros em passagem pelo país e para membros do Ministério Público Federal e da magistratura em situação de risco.

Publicidade