Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Pobre Sarney

José Sarney dedica hoje a sua coluna semanal na Folha de S.Paulo a fazer um rosário de lamentações em torno da dificuldade de se financiar as campanhas políticas. É, no mínimo, irônico. Eleito pela primeira vez deputado federal em 1954, dono do Maranhão desde a década de 60 quando se elegeu governador, Sarney conhece como […]

Por Da Redação - Atualizado em 31 jul 2020, 15h53 - Publicado em 19 fev 2010, 18h40

José Sarney dedica hoje a sua coluna semanal na Folha de S.Paulo a fazer um rosário de lamentações em torno da dificuldade de se financiar as campanhas políticas. É, no mínimo, irônico. Eleito pela primeira vez deputado federal em 1954, dono do Maranhão desde a década de 60 quando se elegeu governador, Sarney conhece como poucos os caminhos para se eleger.  Escreveu Sarney:

– Se o dinheiro não sai de um financiamento público e não sai de particular, e se uma equipe de marqueteiro e sua parafernália eletrônica não custam menos de 10 milhões de reais, de onde virá o dinheiro? (…) Assim, a democracia, que é barata, fica cara, porque a solução será a porta escusa do caixa dois e seus custos inconfessáveis.

Publicidade