Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

PGR pede que PF marque depoimento do ministro da Educação

Milton Ribeiro é suspeito de ter cometido crime de homofobia por falas que associaram homossexualidade a 'lares desajustados'

Por Mariana Muniz Atualizado em 5 nov 2020, 13h48 - Publicado em 5 nov 2020, 13h31

Em manifestação encaminhada ao ministro Dias Toffoli, do Supremo Tribunal Federal, o vice-procurador-geral da República, Humberto Jacques de Medeiros, pediu para que a Polícia Federal marque o depoimento do ministro da Educação, Milton Ribeiro, no inquérito que apura suposto crime de homofobia.

“A fim de instruir o presente feito e, sobretudo, formar adequadamente o conhecimento a respeito da autoria e da materialidade do fato, o Ministério Público Federal requer o agendamento de dia e hora para a inquirição do ministro da Educação Milton Ribeiro”, diz o ofício.

Na manifestação, a PGR também afirma que embora “tenha ciência” da decisão do ministro Celso de Mello sobre o ex-titular do MEC Abraham Weintraub — de que ministro de estado que figura como investigado não tem a prerrogativa de dizer qual melhor dia e horário para depor — acredita que “eventuais incompatibilidades de agenda poderão surgir”, o que seria contraproducente.

Em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo, Ribeiro associou a homossexualidade a “famílias desajeitadas”.

Continua após a publicidade
Publicidade