Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

PF cita movimentações suspeitas de dinheiro contra Salles e servidores

Investigadores citam 'operações suspeitas' listadas pelo COAF realizadas nos últimos anos pelo escritório de advocacia do qual o ministro é sócio

Por Robson Bonin Atualizado em 19 Maio 2021, 10h48 - Publicado em 19 Maio 2021, 09h50

No relatório em que justifica ao STF a necessidade de buscas contra Ricardo Salles e demais servidores do Meio Ambiente, por envolvimento num esquema internacional de contrabando de madeira, a Polícia Federal cita movimentações financeiras de servidores e do próprio Salles como evidências suspeitas na mira da investigação.

“A autoridade policial também destacou que parte das empresas envolvidas e pelo menos dois dos agentes públicos investigados tiveram, nos últimos anos, inúmeras comunicações ao COAF por operações suspeitas. A esse respeito, a representação ainda aponta a possível existência de indícios de participação do Ministro do Meio Ambiente, Ricardo de Aquino Salles, em razão de comunicações ao COAF por operações suspeitas realizadas, também nos últimos anos, por intermédio do escritório de advocacia do qual o referido Ministro de Estado é sócio (RIF n. 60322.2.2536.4046 – Anexo VIII)”, registra a decisão do ministro Alexandre de Moraes, que autorizou as buscas.

+ STF quebra sigilos bancário e fiscal de Salles; chefe do Ibama é afastado

 

Continua após a publicidade
Publicidade