Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

PF acha dinheiro vivo em ação contra desvio de emendas parlamentares

Ex-deputado Abel Galinha e um assessor parlamentar do senador Chico Rodrigues, aquele do dinheiro na cueca, estão entre os alvos

Por Robson Bonin 24 ago 2021, 12h24

A Polícia Federal deflagrou nesta terça uma operação para desarticular um esquema de corrupção envolvendo desvio de 12 milhões de reais em recursos públicos de emendas parlamentares em Roraima. O ex-deputado Abel Galinha é um dos investigados no caso. Um assessor do senador Chico Rodrigues, aquele do dinheiro na cueca, também é alvo da ação.

O ex-deputado Galinha foi conduzido pela PF para prestar esclarecimentos. Os investigadores encontraram 250.000 reais em dinheiro vivo e grande quantidade de ouro.

A PF cumpriu dez mandados de busca e apreensão em Boa Vista e em Brasília. “As ordens foram expedidas pela 4ª Vara Federal Criminal em Roraima, após requerimento da Autoridade Policial e manifestação favorável da Procuradoria Regional da República”, diz a PF.

Seis convênios foram assinados com quatro empresas para realização de obras e serviços em municípios do interior do estado de Roraima, no valor de 11,9 milhões de reais.

“As investigações apontam que o ex-parlamentar (Galinha), mesmo após deixar o mandato, se beneficiaria das emendas parlamentares de sua autoria mediante a contratação de empresas de seu círculo pessoal e familiar como beneficiárias das licitações, agindo como se fosse o dono das verbas públicas envolvidas, incluindo seu genro e o tesoureiro regional do partido cujo diretório é por ele presidido”, diz a PF.

Também levantaram suspeitas a baixa quantidade de funcionários das empresas – uma delas inclusive sem funcionários – ou a inexistência de realização de outros serviços que não os para as prefeituras.

As investigações são um desdobramento da segunda etapa da operação Godfather, deflagrada em outubro de 2020, que investigaram o suposto envolvimento do mesmo ex-parlamentar federal em fraudes em mais de 14 milhões de reais em contratos da Secretaria de Saúde de Roraima. O inquérito policial segue em andamento.

Continua após a publicidade
Publicidade