Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Por que Bolsonaro investe no atrito com STF e Congresso

Presidente motiva sua rede de seguidores com o apoio a protestos, mesmo que maioria de brasileiros reprove o ato

Por Robson Bonin 10 mar 2020, 06h02

Com Jair Bolsonaro posando de garoto propaganda de protestos contra o Congresso e o Supremo Tribunal Federal, o Instituto Paraná Pesquisas ouviu, na semana passada, 2.002 brasileiros distribuídos por 160 municípios de todos os estados do país para saber se a conduta do presidente é certa e se ajuda o Brasil.

O instituto perguntou: “É certo ou errado o Presidente apoiar atos contra o Congresso Nacional?” Para 52,2% dos entrevistados, Bolsonaro age errado ao apoiar os protestos, contra 40% que consideram certo o movimento do presidente. 7,8% não opinaram.

O Paraná Pesquisas também perguntou: “O fato de o presidente apoiar atos contra o Congresso Nacional, ou seja, contra deputados e senadores, é bom ou ruim para o país?”

Para 57,1% dos entrevistados, a ação hostil de Bolsonaro contra os congressistas é ruim para o país. Nessa área, 35% acreditam que a briga entre poderes é boa ao Brasil. 7,8% não opinaram.

Os dados revelam uma curiosidade. Há quem goste do ataque de Bolsonaro contra o Congresso, mesmo sabendo que isso não é bom para o país.

Os números também mostram o que tem influenciado Bolsonaro na crise. O monitoramento de redes do Planalto já demonstrou que o presidente motiva seu exército nas redes e conquista simpatia quando bate no Congresso.

Nesse ponto, ter 40% de simpatia é algo positivo para um presidente que foca na reeleição e numa margem que lhe garanta acesso ao segundo turno. Se for contra o PT, Bolsonaro aposta que a reeleição está no papo.

Ainda falta uma eternidade para outubro de 2022, mas Bolsonaro só pensa nisso.

Continua após a publicidade
Publicidade