Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Pesadelo logístico no Sul é nova dor de cabeça na mesa de Bolsonaro

Itamaraty e setor de transporte estimam que pelo menos 800 caminhões venham a ser barrados nas fronteiras vizinhas

Por Robson Bonin Atualizado em 16 abr 2021, 20h35 - Publicado em 17 abr 2021, 16h29

O colapso no transporte de carga — com restrições impostas por Chile, Uruguai e Peru —, por causa da pandemia, é a nova dor de cabeça na mesa de Jair Bolsonaro.

Recentemente, os governos do Peru, do Chile e da Argentina estabeleceram novas exigências sanitárias para transporte internacional rodoviário de cargas, que incluem teste PCR por caminhoneiros não residentes, tendo em conta o surgimento e disseminação da nova variante brasileira do coronavírus.

Num relatório, o Itamaraty relatou o receio do “setor transportista” diante de dificuldades de cumprimento das medidas. Segundo o texto, a inexistência de estrutura compatível para realização de PCR na fronteira sul do país ou ao longo da rota internacional dos caminhoneiros comprometem toda a operação. Impacto: 800 caminhões barrados nas fronteiras todos os dias.

Publicidade