Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Paulo Preto alega que MPF repete investigação concluída em 2008

Paulo Preto foi diretor da Dersa

Por Da Redação 29 jan 2018, 12h51

Ex-diretor da Companhia de Desenvolvimento Rodoviário (Dersa), Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, afirma que o Ministério Público Federal em São Paulo iniciou uma investigação que já foi concluída em 2008. 

Paulo Preto é investigado por supostos esquemas de corrupção entre a Odebrecht e os governos tucanos de São Paulo em obras do Rodoanel e a ampliação da marginal Tietê.

Recentemente, os procuradores solicitaram extratos bancários da empresa offshore Groupe Nantes S/A, mantida por Preto no Panamá.

Segundo Preto, através de petição de 86 páginas enviada por sua defesa a Justiça, o objetivo do MPF é “confundir a Jurisdição”, já que essa mesma conta já foi alvo da Operação Castelo de Areia, de 2008.

Na época, a operação nada encontrou.

“Ora, uma investigação de prática de corrupção, de fato, justificaria um pedido de colaboração internacional para fins de obter informações de contas bancárias, seus beneficiários e movimentações. Todavia, a apuração de peculato (e a  falsidade ideológica e formação de quadrilha a ele conexos), indicada como principal fundamento do pedido, não tem qualquer relação factual ou jurídica com o requerimento de cooperação realizado”, escreveu a defesa.

Continua após a publicidade
Publicidade