Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Paulo Coelho e mulher vão bancar festival rejeitado pelo governo Bolsonaro

Como mostrou o Radar, a Funarte invocou Deus ao recusar o uso da Lei Rouanet para o custeio do Festival de Jazz do Capão

Por Robson Bonin Atualizado em 14 jul 2021, 10h25 - Publicado em 14 jul 2021, 07h15

Em sua visão torta de Estado, o governo de Jair Bolsonaro, como mostrou o Radar, invocou Deus para recusar o uso da Lei Rouanet para o custeio do Festival de Jazz do Capão, um evento que acontece há dez anos na Chapada Diamantina, na Bahia.

É a primeira das últimas três edições do festival que o evento de música instrumental não obtém autorização do programa de incentivo à cultura do governo federal.

LEIA TAMBÉM: Dedé Santana é autorizado a captar R$ 1,2 milhão pela Lei Rouanet

Nesta quarta, o escritor Paulo Coelho e sua esposa, a artista plástica Christina Oticica, se ofereceram para bancar os custos do evento rejeitado pelo governo Bolsonaro. “A Fundação Coelho & Oiticica se oferece para cobrir os gastos do Festival do Capão, solicitados via Lei Rouanet (145.000 reais). Única condição: que seja antifascista e pela democracia”, escreveu Coelho nas redes.

Continua após a publicidade
Publicidade