Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Partidos de esquerda no Rio se reúnem para pacto de não agressão

Encontro entre representantes estaduais buscará consenso entre propostas de governo

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 2 set 2021, 09h45 - Publicado em 2 set 2021, 11h30

Representantes das executivas estaduais dos principais partidos de esquerda do Rio terão uma reunião nesta quinta para conversas sobre as eleições de 2022.

Integrantes do PT, PDT, PSB, Psol e do PCdoB participarão do encontro em um hotel no centro do Rio. Não sairá da reunião uma proposta de aliança, longe disso. 

Os partidos vão conversar para identificar propostas de governo convergentes e também para firmar um pacto de não agressão no primeiro turno das eleições ao governo do estado do Rio no ano que vem. 

Destes cinco partidos, o PDT já anunciou que vai concorrer à vaga com o ex-prefeito de Niterói Rodrigo Neves e o PSB, com o deputado federal Marcelo Freixo.

Nos bastidores, alguns atores políticos progressistas disseram à coluna que dão como provável a ida do atual governador Cláudio Castro ao segundo turno da eleição. Eles acreditam, inclusive, que quanto mais Castro se afasta do bolsonarismo, mais forte ele fica eleitoralmente. 

O objetivo dos progressistas não é mais necessariamente fechar uma aliança ampla, mas evitar uma luta fratricida entre nomes do mesmo campo que, ao fim, poderia fortalecer a candidatura do atual governador. 

A reunião desta quinta tem esse espírito. Para evitar constrangimentos no segundo turno, a ideia seria ir devagar no andor com as críticas aos adversários do mesmo espectro ideológico.

Continua após a publicidade
Publicidade