Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Parisotto tinha outra namorada durante relacionamento com Brunet

Salvo pela traição

Por Mauricio Lima 2 jun 2018, 11h00

A decisão da Justiça de negar a união estável entre Luiza Brunet e Lirio Parisotto foi influenciada por um depoimento polêmico. Arrolado pelo advogado Luiz Knigel, o sommelier do Fasano Manoel Beato disse que o empresário tinha outra namorada durante o relacionamento, o que provaria a falta de elo entre Parisotto e Brunet.

Beato afirmou que os dois frequentavam o restaurante e, inicialmente, achava que ambos estavam “ficando”, mas muitas pessoas do círculo pessoal das partes confirmaram o namoro.

Na festa de setenta anos de Parisotto, Luiza circulou como namorada do aniversariante e a via em seu apartamento sempre que o empresário organizava jantares.

Todavia, o relacionamento dos dois sempre foi de idas e vindas e, por isso, Parisotto sempre aparecia com outras mulheres.

Beato lembra, inclusive, o nome de uma de suas namoradas ocasionais: Karina.

Esta e outras notas com informações exclusivas na edição de Veja desta semana, já nas bancas.

Continua após a publicidade
Publicidade