Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Para shoppings, economia vai matar 100 vezes mais do que coronavírus

Maior preocupação da Alshop é com o pequeno lojista

Por Manoel Schlindwein Atualizado em 29 abr 2020, 11h04 - Publicado em 29 abr 2020, 10h32

Para estancar o derretimento do setor por conta da crise do novo coronavírus, a Alshop (Associação Brasileira de Lojistas de Shopping) tem três pedidos aos governos: abrir o comércio imediatamente, prorrogar o pagamento de impostos em 180 dias e criar linhas de crédito mais acessíveis aos pequenos lojistas.

Diante de um prejuízo de R$ 20 bilhões registrado nos últimos 40 dias, a entidade tem pressa. “Já fizemos tudo o que é possível em termos de saúde, agora é preciso olhar para o emprego”, diz o presidente da Alshop, Nabil Sahyoun. “A economia vai matar 100 vezes mais do que o coronavírus”, alerta o executivo de um setor que emprega 1,5 milhão de pessoas. Das 105 mil lojas em shopping centers no país, 72 mil são de pequenos empresários.

ASSINE VEJA

Coronavírus: uma nova esperança A aposta no antiviral que já traz ótimos resultados contra a Covid-19, a pandemia eleitoral em Brasília e os fiéis de Bolsonaro. Leia nesta edição.
Clique e Assine

A ideia da entidade para evitar os prejuízos é fazer a reabertura dos shoppings seguindo os padrões de segurança definidos pela Organização Mundial da Saúde.

Publicidade